terça-feira, 30 de março de 2010

Jornada Curta - Marcação do Jogo



O jogo da jornada 29, contra o Castêlo da Maia, já foi marcado. Vai se realizar no próximo sábado dia 3 de Abril, as 16.00h, no Campo Queirós Sobrinho (Progresso).
Como vem na circular da Associação de Futebol do Porto, foi marcado como repetição do jogo, portanto a partida terá 90m de duração.

segunda-feira, 29 de março de 2010

Jornada 30


Jogo Disputado, com alguma qualidade mas ainda com muitas falhas e indefinições
A equipa do Senhora da hora entrou em campo com o já seu habitual 4-4-2 e com algumas alterações em relação ao passado jogo com o Valadares no que diz respeito ao onze titular.
A primeira parte começou mal para a nossa equipa, onde o Vilanovense aos dois, três minutos inaugurou o marcador com uma boa jogada de profundidade e nas costas da nossa defesa, onde apareceu o seu melhor jogador, o número 10 (Joel), que ultrapassou o nosso guarda-redes, que teve uma saída em falso e onde, apesar de ter saído, poderia ter remediado a situação. Golo este que não apaga mais uma boa exibição do Ricardo que já disse e repito “para o ano esta equipa vai ter um guarda-redes imperial, o melhor da liga”.
Depois deste golo o jogo foi bem disputado, com lances de perigo para ambos os lados, apesar de nós termos tido mais, e já por isso chegamos ao golo por intermédio do avançado Marco, que nesse mesmo dia festejava o seu 18 aniversário.
A primeira parte terminou e a meu ver, uma das únicas coisas que se pode assinalar a equipa e a sua falta de agressividade principalmente no jogo aéreo.
A 2ª parte iniciou-se e caracterizou-se por baixas de rendimento de ambas as equipas a nível ofensivo, onde as defesas pouco precisaram de brilhar para resolver os lances.
Houve alguns lances de perigo e ambas as equipas podiam ter saído do jogo vencedoras.
O jogo acabou com o resultado final de 1-1, onde este empate é sem dúvida o resultado mais indicado a realidade do jogo.
Foi um jogo como alguma qualidade e com alguns pormenores interessantes mas ainda assim a nossa equipa tem muito que trabalhar, espero que os que fiquem neste plantel para o ano venham das férias com a mentalidade de vencer e lutar pois tenciono ser campeão para o ano e a vocês não vos falta qualidade técnica para brilharem, o que vos falta são títulos e qualidade mas sobretudo vontade de treino. Conto com vocês para transmitirem este espírito de grupo, pois e isso que temos que ser para o ano um grupo ao invés de jogadores separados, aos que vão chegar. Do que depender da equipa técnica tenho a certeza de que para o ano vai ser 100 por cento sério, sempre com a vontade de trabalhar para vencer e principalmente para desfrutarmos do futebol federado como deve ser.
Melhor em campo pela segunda vez consecutiva Jorge que na minha perspectiva simboliza o jogador que mais aprecio, com garra, concentrado, lutador e cumpridor. Se cá ficares para o ano não tenho dúvidas de que vais poder ser um bom líder e de que os aspectos que te faltam para seres um fora de série vão ser altamente melhorados e treinados e por isso conto contigo com a mesma vontade de “comer a relva” e com a mesma humildade para o ano.
Potencial é coisa que não vos falta, só falta mesmo saber utilizá-lo, e para isso cá vamos estar nós.
Actuem no presente sempre com vista a um futuro, pois o que interessa não é o que foi feito no passado mas sim o que queremos fazer no futuro.

VOX POP

A partir deste momento a ferramenta do blog, que tem por nome VOX POP, está fora de utilização. Quando um "ANÓNIMO", individuo que se refugia atrás desta figura de estilo, para poder criticar a seu belo prazer, o que quer e lhe dá na real gana, tem o descaramento de ameaçar um jogador que lhe responde na mesma moeda (com a diferença de ter a coragem de se identificar e dizer quem é), este tipo de comentários ficam suspensos.
Isso eu não posso permitir num espaço por mim criado, com o intuito de divulgar o escalão de Juniores do SCSH. Estas pessoas não são dignas da nossa atenção, nem tão pouco são úteis com sócios ou apoiantes do grande clube que é o Sport Clube Senhora da Hora.
O que deixam transparecer é que têm uma grande vontade de estar no lugar em que me encontro, uma vez que já apareceram alguns "ANÓNIMOS" que se intitulam como treinadores de futebol, fazendo criticas ao que não sabem e ao que pensam saber. Erros acontecem, até mesmo no julgamento de carácter de atletas. Eu prefiro HOMENS que estejam na disposição de trabalhar comigo, aos grandes jogadores que só pensam no seu umbigo, sem se preocuparem com os resultados obtidos pela sua equipa. E em relação a este aspecto penso que me enganei muito pouco.
Todo o esforço despendido, por atletas que trabalham durante a semana para obterem resultados que dignifiquem a camisola que envergam.
Jogadores de 2ª Divisão não existem neste clube. Todos os atletas que comigo trabalham são atletas de 1ª água. HOMENS na verdadeira acepção da palavra. Quem se intitula e desata a julgar HOMENS, como vi em alguns comentários são os mesmos que dizem (a comparação foi feita pelos anónimos) que o jogador do FCPorto Givanildo Sousa - "HULK", é um jogador de 2ª (Foi contratado por 5M€(metade do passe desportivo) ao Sapporo da 2ª Divisão do Japão).
Assim e para finalizar, quem quiser e tiver coragem, poderá continuar com os seus comentários no blog, devidamente identificado nos espaços reservados aos mesmos nas notícias inseridas.

sexta-feira, 26 de março de 2010

Jornada 26

Para quem segue o nosso blog e leu a crónica da jornada 28 pode não entender,mas passo a explicar. Esta foi a jornada adiada devido ao mau tempo.
Na primeira parte entramos, como tem sido norma nesta segunda volta do campeonato, com uma falta de atitude e agressividade na bola. Quando falo de agressividade, não é acertar nos nossos adversários, mas sim disputar os lances com vontade de os ganhar. O exemplo mais flagrante desta falta de agressividade foi o lance do 1º golo do Valadares. Um jogador adversário intercepta uma saída para o ataque da nossa equipa e desenvencilha-se de 4 jogadores do SH. Remata para uma primeira defesa do nosso GR, ganha novamente o ressalto, a nossa defesa apática, assistiu a recarga do jogador do Valadares para fazer o golo. Assim descrito parece que foi feio...Visto foi ainda pior.
A partir desse momento, min 14, a equipa do Valadares recuou, deu-nos todo o nosso 1/2 campo e tentou sair em jogadas de contra-ataque.
Fomos para o intervalo com o resultado desfavorável e com uma péssima imagem deixada em campo.
No recomeço da 2ª parte, depois de ter chamado a atenção para a falta de atitude de toda a equipa, estes não se fizeram rogados e alteraram a sua maneira de encarar a partida. A vontade de alterar o resultado e a agressividade foram muito melhores. Começamos a acercar-nos da baliza adversária com muito mais perigo e o GR do Valadares (mais uma vez, lembro que no jogo da 1ª volta foi o melhor jogador em campo), efectuou 3 ou 4 defesas de bom nível. Isso não impediu que aos 13' enviássemos uma bola ao poste (o GR tocou-lhe o suficiente para a desviar da baliza). Todos gritamos golo, mas a bola batem na parte interior do poste e saiu para fora. Pouco depois um remate de fora da área, o GR defende a bola para a barra, na recarga Bruninho completa para a baliza, mas o auxiliar (Bandeirinha) assinalou fora de jogo. Muito sinceramente, não me pareceu.
Continuamos a pressão e a equipa do Valadares, com a conivência e beneplácito do Sr. Árbitro, acertava em tudo, mesmo que não fosse na bola. Por esse motivo o nosso central Bruno, saíu lesionado depois de uma entrada violenta por parte de um jogador do Valadares. Entrada violenta por trás (foram tantas, mas fica esta como exemplo do comportamento do árbitro) ao nosso jogador Pimentel, que responde ao agressor com um empurrão. O jogador do Valadares e mais uns quantos originam, mais um pequeno sururu. Resultado cartão amarelo para o Pimentel e para o jogador do Valadares. Depois disto mais uma bola ao poste (fotocópia da primeira, com a única diferença de que desta vez o GR não tocou).
No banco chegamos a conclusão de que não era o nosso dia. podíamos estar ali o dia (noite) todo
que não conseguiríamos marcar.
Minuto 92, contra a corrente do jogo a equipa do Valadares faz um remate a 20 mt da baliza e apanha o nosso GR um pouco adiantado, este ainda toca na bola, mas não a consegue afastar completamente. Estava assim feito o resultado final da partida.
Depois de terminado o encontro, toda a nossa equipa dirige-se para o balneário e é apupada pela claque adversária. Chegados ao balneário somos insultados, cuspidos e ameaçados. Inclusive uma "besta", que não pode ser chamado de outra maneira, jogador do Valadares e que tinha sido substituído, invade o campo com o propósito de agredir os nossos jogadores. A polícia de serviço, chega ao local calmamente, retira o jogador em questão, o mesmo volta a fugir e a tentar agredir. Os policias voltam a segura-lo e a deixa-lo ir para casa sem qualquer advertência ou voz de prisão. Lembro que por muito menos, fomos castigados com um jogo de interdição do nosso complexo desportivo. Agora quero ver o que as instâncias disciplinares da AF Porto, vão fazer.
O melhor jogador em campo, já que foi aquele que durante mais tempo mostrou uma vontade e disposição de mudar o rumo dos acontecimentos, foi o Jorge.

terça-feira, 23 de março de 2010

Convocatória


Aqui fica a convocatória para o jogo em atraso, Jornada 26, contra o Valadares, amanhã as 19.30h

  1. Luis
  2. Ricardo
  3. Batista
  4. Pinto
  5. Vitor
  6. Tiago Valente
  7. Jorge
  8. Castro
  9. Dani
  10. Pimentel
  11. Marco
  12. Bruninho
  13. Enoque
  14. Fabinho
  15. Vasil
  16. Miguel
  17. Bruno
A saída será efectuada as 17.3oh do nosso Complexo Desportivo.

segunda-feira, 22 de março de 2010

Mais uma jornada curta.

Mais um fim de semana de mau tempo. Parecia que não, mas de repente o aspecto do céu mudou e uma forte chuva deixou o Campo de Águas Santas impraticável. O jogo efectuou-se até ao intervalo e a nossa prestação foi igual ao tempo. Muito feia. Muito feia de toda a equipa e não só de jogadores em lugares específicos. Com a chuva não fomos inteligentes o suficiente para jogar o mais prático possível. Com o terreno complicado (se o pelado já complica, imaginem completamente alagado), fomos ingénuos ao ponto de querer jogar de pé para pé, quando se pedia jogadas em profundidade. Pareciamos uma equipa de infantis a quem deram uma bola pela primeira vez. Erros defensivos, e lembro que o primeiro defensor deve ser o nosso Avançado, foram uma constante, principalmente depois de sofrer o 1º golo ao min 17. Antes disso o GR da equipa do Castêlo da Maia fez 2 defesas muito boas, impedindo que marcassemos.
Veio o intervalo e o jogo terminou. Completamente alagado e sem marcações, o árbitro e os delegados das 2 equipas, decidiram não haver condições para prosseguir.
Vamos esperar pela marcação de novo jogo ou da marcação do complemento do mesmo.
Agora temos de concentrar-nos no próximo jogo que se realiza em Valadares, na próxima 4ª Feira as 19.30h (Jornada em atraso, motivada pelo mau tempo).

sábado, 20 de março de 2010

Esclarecimento

Ao contrário do que deveria fazer, mas como estou num espaço que é disponibilizado por mim, vou fazer alguns esclarecimentos aos senhores "ANÓNIMOS" que têm muita coragem para escreverem no blog, mas não têm a mesma coragem para mo dizerem cara a cara.
Nunca, e repito NUNCA disse que um jogador que chegasse tarde ao treino, não o iria fazer (ao contrário das pretensões dos nossos directores). Sempre disse que um jogador que chegue tarde treina, pois mostrou vontade de o vir fazer e não vão ser os treinadores que o vão impedir.
Relativamente as ausências nas convocatórias também ficou estipulado no principio da temporada que quem não fizesse o pagamento das mensalidades a tempo e horas (até ao dia 10 de cada mês) ficaria fora das convocatórias, mas isso nunca aconteceu e posso dizer que há atletas com 3/4 meses de mensalidades atrasadas. Também ficou estipulado que quem não viesse treinar e não justificasse as faltas não jogaria, se tal acontecesse haveria jogos em que só nos apresentaríamos em jogo com 12 ou 13 atletas.
Ser treinador é muito complicado, mas muito difícil quando dentro do nosso Clube, existem pessoas que só estão preocupadas em criticar e arranjar "bodes expiatórios" para as derrotas, chegando ao cumulo de dizerem que depois de uma derrota a culpa foi dos directores. Lembro que os directores não marcam nem sofrem golos.
O clube vive com dificuldades, as condições não são as melhores, mas há muitos clubes piores que nós. Mas não vejo nenhum dos "ANÓNIMOS" com vontade de ajudar.
Relativamente as convocatórias, contem quantos atletas existem, quantos desistiram e quantos estão lesionados.
Desistências até ao momento foram 3 - André Neves, João Ribeiro e Pedro Nogueira. Meio desistente (aquele que vem quando lhe apetece) Rodrigo.
Lesionados estão 5 - Diogo, Granja, Zé António, Pinto e Tiago Oliveira.
Transferidos para outros clubes ou para o escalão superior 2 - Nuno e Hélder.
Num plantel inicial de 30 atletas, 3 desistência e meia, não são assim tantos "Jogadores Fabulosos" a desistir.
Para mim e sabendo que vou ser injusto com alguns atletas, o mais importante é que o Clube vença todas as partidas em que participa. Sei que estou numa posição sujeita a todas as criticas, justas e injustas. A minha única revolta é para com a coragem (falta dela) dos críticos.
Só mais uma coisa, meus AMIGOS são todos os atletas do plantel, directores, os treinadores que comigo trabalham e o presidente do Clube. Esses sim SÃO os MEUS AMIGOS.

quinta-feira, 18 de março de 2010

Obra de arte - União da capacidade técnica com a objectividade

Vejam esta jogada (não é em campo grande, mas é futebol).

Aqui fica demonstrada a capacidade de um jogador de futebol, onde alia a sua espantosa capacidade técnica com uma objectividade incrível.

video

Para os mais interessados o nome do jogador é Falcão (com acento) e é brasileiro. Foi considerado como o melhor jogador do mundo em Futsal, nos últimos anos.

segunda-feira, 15 de março de 2010

Jornada 28


Uma 1ª parte brilhante apagada por uma 2ª parte ingénua.
por Prof. João Baia

A equipa do SCSH entrou no jogo com o Avintes com a já utilizada táctica no jogo anterior de 4-4-2 com tendência a transformar num 4-3-3 e desde o 1º minuto que desenvolveu um jogo organizado e concentrado, que na minha opinião, são sem dúvida os dois aspectos mais relevantes dentro de um lote de aspectos relevantes num jogo de futebol.
Na 1ª parte a equipa jogou bem apoiada, com destaques para os laterais a apoiar os extremos no ataque e com os extremos a apoiarem os laterais nas manobras defensivas; com a equipa a subir e descer em bloco; resumidamente, jogando de forma inteligente.
Com o resultado a equipa conseguiu criar algumas situações de perigo iminente das quais resultaram 2 golos( Pinto e Carvalho) e a nível defensivo conseguiu anular bem as manobras ofensivas da equipa adversária, embora a maior parte apenas tenha sido conseguida já muito perto do 1º quarto de terreno de jogo, o que poderia resultar em situações de perigo iminente se não tivesse sido mesmo a eficácia dos jogadores mais recuados no que toca ao desarme e recuperação de bola.
A 1ª parte acabou e foi marcada por um SCSH mentalmente muito superior ao adversário; adversário este que acabou este tempo de jogo completamente desorientado em todos os aspectos e muito por fruto de uma 1ª parte brilhante dos nossos pupilos, onde as únicas coisas que pecam são mesmo a velocidade de execução, o pressing, a capacidade de jogo aéreo e a pouca recuperação de bola a nível do meio campo ofensivo e dos atacantes em si.
Intervalo
Na 2ª parte a equipa do Avintes pareceu entrar mais determinada em dar a volta aos acontecimentos e desde logo colocou o pé no acelerador. Mas foi o SCSH, logo aos 47 minutos, que fez o 3-0 por intermédio do avançado Bruninho.
Tudo indicava que o Avintes fosse cair e que o Sra. Hora iria sair dali vencedor. Mas como nem tudo o que parece é , e as vezes as menores probabilidades são as vencedoras, aconteceu algo que deixou todos de boca aberta. O Avintes reagiu e o SCSH adormeceu e demorou tempo a acordar e em 10 minutos o Avintes fez 2 golos renascendo assim a sua esperança.
Nessa altura éramos uma equipa incapacitada que não teve calibre suficiente para controlar e temporizar o jogo de forma equilibrada e inteligente. A concentração que habitou a 1ª parte parece ter desaparecido na 2ª.
Depois disto o jogo foi muito taco a taco, onde a organização das duas equipas estava num estado baixo, muito baixo. Este jogo que estava a ser levado muito mais com o coração do que com a cabeça, para mal dos nossos pecados, originou o 3 golo do Avintes, empatando assim o jogo que parecia ser nosso.
A partir daqui o jogo começou a ser muito indisciplinado onde ambas as equipas faziam asneiras atrás de asneiras originando varias oportunidades que foram desperdiçadas dos dois lados, principalmente por nós que podíamos mesmo ter ganho o jogo, se a nossa atitude não tivesse sido pouco madura.
E como “quem não marca arrisca-se a sofrer”, nós acabamos mesmo por sofrer o 4 golo já em cima do último instante de jogo, sendo o resultado final 4-3.
Ainda de realçar o facto de ambas as equipas terem tido comportamentos de muita indisciplina durante o jogo, acabando este com 3 expulsos por parte da equipa da casa( 1 foi expulso já depois do jogo acabar) e 2 nossos( 1 já depois do jogo ter terminado).
De lamentar estas atitudes, e é por isso que me vejo obrigado a apelar ao Fairplay.
Melhor jogador em campo, Dani, que mostrou ser um jogador muito versátil ao realizar uma grande exibição como jogador adaptado a lateral esquerdo.

Para culminar quero dizer aos nossos jogadores que apesar da sua ingenuidade, o jogo até foi dos mais bem disputados, onde novamente realço muita qualidade na 1ª parte.

Acalmem-se, concentrem-se, treinem bem e conquistem.

“Disciplina é a ponte que liga os nossos sonhos às nossas realizações”

Analise do Mister Milton Ribeiro à jornada 27


Treinador e com uma paixão muito grande pelo futebol de formação, deslocou-se ao nosso complexo para nos ver a jogar e no seu site deixou a sua analise. Aqui está a sua crónica para que todos a possam ler.

»»»» No sábado à tarde, abdiquei de ir ver o F. C. Porto (em boa altura o fiz) para estar no campo do Sra. Hora, para ver o jogo entre a equipa da casa e o Pedrouços.
A minha visita a este campo não se deveu às duas equipas em questão, mas sim para ver um dos meus meninos em acção. Esse menino, de seu nome Tiago Valente que foi meu jogador na época passada.
O jogo em si foi algo "morno", muito parado com ambas as equipas a entrarem muito lentas e sem grandes motivos de satisfação para as poucas pessoas que estavam nas bancadas, o que também ajudou a que o espectáculo não fosse melhor.
No entanto a equipa do Sra. Hora sempre se mostrou superior à equipa do Pedrouços que, surpreendentemente, tinha vencido na jornada anterior o lider Leixões, só encontro uma explicação para esse feito, é futebol... A equipa da casa adiantou-se no marcador por intermédio do defesa esquerdo que fez um excelente golo na sequência de um lance de bola parada. O 1-0 era perfeitamente justo naquela altura...
O jogo continuou na mesma toada e, percebia-se que estava mais próximo o 2-0 do que o empate para os forasteiros.
O segundo golo apareceu por intermédio do "grande" Valente que, depois de se desenvencilhar de dois adversários, atirou a contar, fazendo assim um golo de belo efeito. O jogo continuava a não satisfazer as pessoas que assistiam, falo por mim, como é óbvio e porque quem estava comigo.
Até ao final apenas vimos mais uma bola na trave da baliza do Pedrouços, atirada por Dani na sequência de um canto que tentou ser directo.
Na segunda parte e devido às alterações efectuadas por ambos os treinadores as equipas praticaram um futebol mais fluido e rápido. O Sra. Hora podia, por diversas vezes ter dilatado a vantagem, mas não o fez... o que permitiu que a equipa forasteira continuasse a "sonhar" ser possível mudar o resultado.
Certo é que a 5 minutos do fim a equipa do Pedrouços reduziu a desvantagem e encostou o Sra. Hora à sua área. Podia ter surgido o empate se não fosse o guardião da casa (que por sinal é Juvenil) a efectuar uma excelente defesa. O jogo terminaria com a vitória do Sra. Hora, justa mas que peca por escassa e que obrigou os homens da casa a sofrer até ao final.
Parabéns ao Valente que esteve em grande.

sexta-feira, 12 de março de 2010

Contrariado....


Apesar de contrariado, publico esta banda desenhada que recebi, pois está muito boa.
Tenho que dar os parabéns ao produtor da mesma. Uma pequena nota. Alguns dos textos foram rectificados.

Novas Alterações - Rectificação de datas


Como havia sido anunciado e publicado pela AFP, o jogo da jornada 26 seria disputado no dia 31 de Março. Mas, agora em rectificação e com carácter de urgência foi agendado para nova data.

Assim, ficou para a seguinte data:
  • Jornada 26 - Valadares x SCSH - dia 24 de Março as 19.30h Campo do Valadares (pelado)

Esta alteração deve-se ao facto de que esta jornada deve ser disputada antes da ultima jornada regular do nosso campeonato.

Vamos agora saber quais as condições e quais são os jogadores disponíveis para esta partida.

quinta-feira, 11 de março de 2010

Mais uma aula de táctica...

A bola e os músculos
26 de Fevereiro de 2010 in Planeta do Futebol
Como a alta dimensão física do jogo transforma os momentos de transição numa sucessão de lutas pela segunda bola.
Os jogos, vertiginosos, são sempre multidimensionais, mas, no final, há sempre uma imagem que fica mais na retina. Será a melhor para definir o jogo? Por vezes será um exagero, mas quando ela foge aos golos e descreve uma forma de estar em campo, até poderá morar nesse simples flash a alma do confronto global.
O frio cobre Milão. De repente, na relva, sucedem-se lances em forma de vulcão. Cada vez que a bola entrava nos últimos 25 metros do ataque do Chelsea, Drogba arrancava no seu alcance. Do lado oposto, outro jogador erguia-se e cerrava os dentes para travar a ameaça, Lúcio, o momento seguinte era o encontro entre aquelas duas montanhas de músculos com uma bola pelo meio. Um choque de monstros (defesa contra avançado) que elevava a dimensão física do jogo a níveis impossíveis de atingir para o resto do comum dos mortais em campo. Kalou ou Sjneider olhavam quase assustados para cada um desses duelos. Lúcio ganhou-os todos, sobretudo na segunda parte. Depois, cada um deles acabava caído na relva, como um soldado extenuado e o público aplaudia enlouquecido. Imperial, a intensidade atlética devorava o jogo e, até, as mudanças tácticas de Mourinho e Ancelotti.

O Inter entrara em 4x4x2 com um losango encolhido no sentido de não lhe dar largura, nem em posse. Ou seja, Sjneider era 10 mas atrás, com Cambiasso fixo a pivot, os vértices laterais (Stankovic-Motta) em vez de abrir em posse, mantinham-se quase sempre fechados, por dentro, perto da âncora Cambiasso, para ganhar os espaços (e segundas bolas que entravam neles) na máxima zona de pressão central, onde, do outro lado, vinham Lampard e Ballack, para além dos recuos de Anelka para espaços entre-linhas. Na segunda parte, Mourinho (a ganhar) tira um soldado central, Motta, e, metendo Balotelli aberto na direita, passou ao 4x3x3 com Eto`o (depois Pandev, mais musculo) na esquerda e Milito no meio (ficando atrás o duplo-pivot Cambiasso-Stankovic, com os laterais presos a fechar).
Mas voltem ao flash Lucio-Drogba.
É preocupante que duas grandes equipas façam do jogo sobretudo um choque musculado?
Sim e não. Se fosse o lado atlético a ser colocado ao serviço da técnica, penso que não. O problema é que sucede o contrário. É o lado físico que come a técnica e nem a deixa respirar. Ou seja, dificilmente a técnica consegue dar um rosto mais humano à questão física, também indispensável no futebol. Qual é a consequência mais perturbante? Ver como esta exacerbação atlética do jogo adultera a limpeza táctico-técnica dos momentos de transição que, neste contexto, acabam por ser quase sempre consequência de ganhar (ou perder) a luta (num lance dividido) pela segunda bola.

quarta-feira, 10 de março de 2010

Alterações

No que toca a alterações aqui estão elas:
  • Jornada 26 - Jogo em atraso com o Valadares (adiado devido ao mau tempo) - dia 30 de Março as 15.00h, no Campo do Valadares.
  • Jornada 29 - Jogo com o Castêlo da Maia, transferido para o Campo do Águas Santas (pelado) em virtude do castigo de 1 jogo de interdiçaõ do nosso complexo, por mau comportamento dos adeptos.

Em relação a este castigo, peço a todas as pessoas que nos apoiam que mesmo sendo prejudicados (como fomos, algumas vezes neste campeonato) não devemos ter ou reagir de maneira incorrecta para com os intervenientes no jogo. Sei que é mais fácil dizer que fazer, mas a conclusão a que chegamos é que os únicos prejudicados são os atletas que terão de efectuar 1 jogo fora de portas, quando poderiam fazer valer o factor casa (que este ano tem sido muito importante).

Assim, e em jeito de conclusão, peço a todos que apoiem mas sem excessos.

domingo, 7 de março de 2010

Jornada 27


Jogo ao fim da tarde. Mais um. Somos obrigados a jogar em nossa casa as 17h, porque todas as equipas querem jogar no nosso complexo. É o Salgueiros, Progresso e até mesmo as equipas das CM Matosinhos, que aqui vêm jogar e prejudicam o nosso ritmo de treinos.

Esta foi mesmo uma semana atípica, desde a não podermos treinar na passada 4ª feira até termos de jogar contra o Pedrouços sem efectuar qualquer tipo de aquecimento pré-jogo. Tudo nos acontece.

Falando do jogo, começamos como era de esperar, frios e sem qualquer ritmo. Isso aproveitou o Pedrouços para tentar marcar um golo cedo. Pressionaram e tiveram uma ou duas situações de mais perigo (perigo relativo, uma vez que não foram oportunidades flagrantes). Ao fim de 10', já a nossa equipa dominava a partida e começamos a ameaçar, com muito perigo. Assim não foi de admirar que chegássemos ao golo, aos 15'. Livre do lado direito do nosso ataque, junto ao banco de suplentes. Batista efectua a cobrança da falta, com o pé esquerdo, obrigando o guarda redes adversário a uma defesa difícil e com o Diogo a emendar a bola para o fundo da baliza.

Minuto 17, jogada de insistência do lado direito do nosso ataque, Tiago Valente, remata, a bola bate no defesa e fica novamente a sua mercê e ele não hesita em voltar a rematar e ... Golo. Penso que a bola ainda tabelou num defesa, mas o que interessa é que entrou. 2-0.

Minuto 20, canto do lado direito do nosso ataque, Dani efectua a cobrança do mesmo e envia a bola ao travessão. Seria um belo golo de canto directo. como podem comprovar em poucos minutos o resultado poderia ter tomado contornos de goleada. Até ao intervalo controlamos todas as movimentações e podíamos ter marcado novamente.

Depois do intervalo, voltamos a dominar o encontro e a criar enumeras situações de golo, onde o guarda redes do Pedrouços defendeu o possível e o impossível. Lembro-me de uma jogada onde T. Nogueira isola-se remata o GR defende, sobra para ele novamente, volta a rematar e o GR efectua uma defesa só ao alcance dos melhores.

Como diz o o velho ditado futebolístico "Quem não marca, arrisca-se a sofrer" foi o que nos aconteceu. Aos 85' sofremos um golo derivado a nossa falta de concentração, e pensamento de que eles não nos conseguiriam marcar. O nosso pendor atacante estava muito alto e a confiança era muita. Daí, numa jogada rápida um dos jogadores do Pedrouços isola-se e marca um golo. Logo de seguida o Pedrouços poderia ter chegado ao empate, já que o golo deles causou uma certa desorientação na nossa equipa. Conseguimos estabilizar e chegar ao final da partida com a vantagem de 1 golo.

O melhor jogador desta jornada foi o Fabinho, uma vez que foi um "tampão" para o ataque do Pedrouços.

Agora temos de jogar com o Avintes em Avintes e aguardar a marcação do jogo que foi adiado com o Valadares.

quarta-feira, 3 de março de 2010

segunda-feira, 1 de março de 2010

Jornada Curta

Sábado a tarde. Dia de chuva e de muito vento.
Antes jogava o Valadares x Salgueiros em Iniciados (julgo eu), e já aí víamos uma ventania enorme.
17.00 - Começa o jogo. A ventania vem em crescendo, vêem-se bolas a "parar" no ar, jogadores a terem de imprimir forças contrárias ao vento para se deslocarem.
17.22 - a 1ª telha saí disparada da cobertura da bancada e quase atinge o fiscal de linha. Curiosamente (ou não) as forças da ordem olham para a bancada, tentando identificar quem foi o engraçadinho a enviar tal "arma" para dentro do campo. Ah!!! Falta referir que estavam todos no túnel de acesso ao campo, para se abrigarem do vento e da chuva.
17.23 - Mais um bocado de telha foge para dentro do campo. Nesse momento o árbitro-assistente do lado da bancada, assume que tem medo e que não quer continuar o jogo, uma vez que é o alvo mais próximo do vento.
17.25 - O árbitro suspende o jogo durante 30m, na esperança que o bom tempo regresse. Tal não aconteceu e agora aguardamos a marcação de nova data para realizar o que falta ou a partida completa.
Próxima jornada, sábado as 17.00h no Complexo do SCSH, contra o Pedrouços AC.